fbpx

Soja: tudo que você precisa saber para evitar perdas

Soja: tudo que você precisa saber para evitar perdas

Como evitar a perda ou redução da produtividade de soja tendo boas práticas na plantação e o correto armazenamento de grãos? É isso que vamos explicar neste artigo. Confira.

De acordo com dados do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR), as perdas mundiais no pós-colheita podem atingir 30% da produção agrícola. No Brasil, os números são menores, mas ainda assim muito preocupantes: por aqui, perdas entre a colheita e o armazenamento chegam a 20%. A presença de contaminantes de natureza biológica, física e química nas fases de pré e pós-colheita dos grãos contribuem para um prejuízo de cerca de 10% da produção nacional. 

Fatores que afetam a conservação

Para conservar os grãos de soja, é preciso estar atento a cuidados como o armazenamento adequado e higienizado para manter a qualidade dos grãos por mais tempo. Abaixo seguem outros fatores que interferem na produtividade.

Grau de umidade 

Para a colheita mecânica de soja, é recomendado de 18% a 13% de umidade do grão. Para armazenar por um período de até um ano, em temperatura média de 32ºC, é preciso secar esses grãos até atingirem 11% de umidade. Mas, no caso de mais de doze meses, essa umidade deverá chegar entre 9% e 10%, a depender da temperatura ambiente e da umidade relativa do ar.

Em ambiente úmido, os grãos secos absorverão a umidade do ar, e inversamente grãos úmidos em um ambiente seco perderão umidade para o ar, ocorrendo então a função da umidade relativa.

A umidade em excesso pode provocar:

  • grãos ardidos e contaminação por micotoxinas, inviabilizando a utilização na agroindústria ou na alimentação animal; 
  • geração de calor no interior da massa de grãos armazenados; 
  • reações bioquímicas que promovem a autodegradação dos grãos e a perda de qualidade;
  • perda de peso por causa da degradação dos carboidratos.

O teor de umidade dos grãos é essencial para as operações de pós-colheita, começando pelo armazenamento, depois transporte até a comercialização. 

Estrutura do grão

Gramíneas, especialmente algumas cultivares, com glumas (quando têm folhas modificadas), se comportam melhor, durante o armazenamento das glumas.  

Limpeza do local de armazenamento

A higienização da unidade onde serão depositados os grãos evita contaminação.

Manejo de pragas

O uso de produtos adequados nos grãos armazenados evita o aparecimento e a proliferação de pragas. É recomendado o expurgo da semente com fosfina. 

Expurgo com fosfina nas sementes armazenadas

Cuidados na secagem, carregamentos de silos e dos armazéns

Atenção para o período correto e a temperatura ideal para a secagem dos grãos, de acordo com cada ambiente. Quanto ao carregamento de silos e armazéns, é fundamental verificar as condições adequadas para o grão. 

Secagem dos grãos

Esse processo é fundamental para minimizar as perdas da produção na lavoura e permitir o armazenamento de grãos por períodos mais longos.

Secagem natural   

Ocorre no próprio campo, utilizando-se da radiação solar e da temperatura do ar ambiente para redução do teor de água dos grãos. A principal vantagem é o baixo custo, no entanto é um método bastante demorado e que depende diretamente das condições climáticas. É mais usual em regiões mais quentes ou que não faz segunda safra. Outras vantagens da secagem natural são:

  • possibilidade de planejar a colheita; 
  • possibilidade de colher mais horas por dia e mais dias por safra; 
  • menor deiscência/degrane natural; 
  • colheita potencialmente superior à perda por qualidade;

Secagem artificial            

Consiste no emprego de técnicas que aumentam a velocidade do processo, com o uso de secadores. As principais vantagens são a praticidade, melhor qualidade do produto final e maior capacidade de secagem. É a técnica indicada para o período de pós-colheita, pois reduz o teor de umidade dos grãos a um nível adequado para o armazenamento. 

Secador de Fluxo Contínuo

Secador Estacionário

Agora que você já sabe o que pode afetar a qualidade dos grãos de soja, é preciso ficar atento para reduzir perdas. Por isso, listamos 6 principais cuidados para conservar os grãos desde a lavoura até a comercialização.

Drenagem do solo 

Solos mal drenados interferem na umidade adequada dos grãos que serão colhidos.

Regulagem da colhedora

Isso evita a perda da película e a quebra dos grãos.

Colheita na hora certa

Colheita atrasada ou adiantada pode gerar perdas consideráveis além de muita umidade e ataques de pragas.

Colheita de soja no período adequado

Armazenamento

Após a colheita, o grão tem de ser armazenado e não pode sofrer impactos de mudanças climáticas ou qualquer impacto que gere perdas de nutriente.  

Maturidade fisiológica

Ocorre quando o grão está com umidade entre 45% e 50%, mas a colheita só é realizada quando a umidade atinge entre 14%  e 20%. O correto armazenamento ajuda a manter a qualidade após atingir a maturidade fisiológica. Assim, o grão conserva maior matéria seca. No caso de uma semente, terá mais vigor para germinar.

Secagem do grão

A secagem correta dos grãos é o que garante o fornecimento de matéria-prima de boa qualidade para a agroindústria. Esse processo deve ser feito de modo a preservar: a aparência, as qualidade nutritivas e a viabilidade e vigor das sementes.

Por fim, nunca é demais lembrar: mesmo com todas as informações necessárias para garantir a qualidade da produção até o armazenamento, é sempre bom contar com profissionais qualificados e com experiência.

Os técnicos da Acero oferecem assessoria do planejamento da lavoura  à comercialização. Entre em contato e descubra o que a equipe de especialistas pode fazer pela sua lavoura.

Deixe um comentário

Seu email não será divulgado.